Tradução Automática vs Tradução Humana

Tradução Automática vs Tradução Humana

A Tradução Automática tem vindo a tornar-se cada vez mais precisa e eficaz. A evolução crescente da tecnologia dá um forte impulso a este desenvolvimento.

Também os serviços de tradução evoluem para acompanhar os desafios da globalização e são cada vez mais essenciais. Mas é aqui que surge uma importante questão: tradução humana ou tradução automática?

A tradução automática está cada vez mais apurada. Ela já é parte da oferta das agências de tradução, pela rapidez e complementaridade que conferem ao serviço. Contudo e separando os diferentes objetivos da tradução, os dois métodos têm lugar. Talvez a primeira grande diferença, é que a tradução automática, na maior parte dos casos, não dispensará a tradução humana.

Eficiência, precisão e velocidade. Quais as diferenças e limites da linguagem automática para a humana?

A cultura só é plenamente entendida pelos humanos

Consoante o contexto e o local onde estamos, a mesma palavra pode ter diferentes significados. Depois, há expressões idiomáticas com significados próprios para um determinado povo. Mesmo a aplicação de gírias requer uma substituição adequada. Traduzir estes factos em fórmulas de programação é um desafio ainda não superado pelas máquinas. Habilidade, criatividade e identificação cultural, estão muito presentes na tradução e é algo que só está ao alcance dos humanos.

Programação contínua dependente da ação humana

Translation
Com a pandemia de 2020 assistimos à proliferação de novas frases. O “novo normal” trouxe novos contextos e neologismos relacionados com o Coronavírus. “Autoisolamento”, “quarentena”, “confinamento”, “pandemia”, etc., que por sua vez criaram subcontextos com palavras como “covidiot” (alguém que ignora os conselhos de saúde pública), “covideo party” (festas on-line por videoconferência) , “covexit” (a estratégia para sair do bloqueio), “zoombombing” (interferindo numa videochamada Zoom) ou “Blursday” (um dia não especificado por causa do efeito desorientador do bloqueio no tempo).

Os tradutores automáticos não puderam acompanhar estas evoluções nos idiomas tão rapidamente quanto os tradutores humanos. Nem souberam depois convertê-las à localização de cada idioma e aos seus próprios neologismos.

A tradução automática tem que ser atualizada constantemente, algo que pode levar demasiado tempo para a urgência e acuidade da comunicação.

Os tradutores automáticos não interpretam o estilo

O contexto, pontuação e organização das ideias, identifica se estamos perante um texto enfático, argumentativo ou mais emotivo, como o é a poesia.

A capacidade de extrair o sentido e dar o tom certo numa tradução, está apenas ao alcance dos humanos. Uma tradução automática não consegue, por exemplo, capturar o humor de um texto com a precisão necessária. O resultado será quase sempre algo plano, pouco emotivo e por conseguinte, pouco eficaz para o leitor dessa tradução.

Tradução automática ao serviço da tradução humana

Para comunicações lineares e pouco exigentes, os tradutores automáticos são muito eficazes. Mas também a tradução humana beneficia muito dos programas informáticos de tradução. Eles permitirão aumentar a rapidez da tradução, deixando que os tradutores humanos se foquem na localização, na revisão e na melhoria do documento final.

Em resumo, sendo sobretudo um serviço muito assente na cultura de cada povo, só os tradutores humanos possuem todas as habilidades para tornar uma tradução o mais perfeita possível e assim atingir plenamente os seus objetivos. Os tradutores automáticos continuarão a evoluir e são uma ferramenta muito útil, quer para traduções simples, como na contribuição da melhoria dos serviços de tradução humana.


Contacte-nos: